Ieacen assume eixo formativo do Complexo Cultural Theatro São Pedro e desenvolve escola de artes cênicas para o RS

O Instituto Estadual de Artes Cênicas (Ieacen), instituição vinculada à Secretaria da Cultura (Sedac), assume o eixo formativo do Complexo Cultural do Theatro São Pedro. Em conjunto com a Fundação Teatro São Pedro (FTSP), a diretora do Ieacen, Gabriela Munhoz, será a responsável pelas ações que serão executadas em parceria com o Serviço Social do Comércio do Rio Grande do Sul (Sesc/RS).

Além de um vasto repertório de cursos, com a criação de uma escola de artes cênicas, os planos para a parceria – denominada Laboratório Multipalco – incluem descentralizar a ocupação do Teatro Oficina Olga Reverbel, inaugurado em março deste ano. A sede do Ieacen, que estava localizada na Casa de Cultura Mario Quintana, foi transferida para o complexo. A solenidade de assinatura dos termos de cooperação acontece na próxima terça-feira (11/7), no Theatro São Pedro.

A principal proposta em elaboração é a criação de um centro de formação artística, por meio do qual será oferecida formação ampla para profissionais das artes cênicas, contemplando diversas áreas de atuação. Além de oficinas de curta e média duração, está prevista a criação de um curso aprofundado para formação técnica em teatro.

Para os idealizadores desses projetos de políticas públicas para o Complexo Multipalco Eva Sopher, um ponto muito positivo é, também, a parceria com o Sesc/RS. Por meio de suas oficinas, cursos, circuitos e festivais, ele acumula amplo conhecimento de espetáculos e profissionais em circulação pelo Estado e pelo país. Com seu conhecimento e trajetória, o Sesc/RS irá contribuir com a iniciativa, participando da concepção, curadoria e seleção de atividades formativas e temporadas do Laboratório Multipalco.

Conforme a titular da Sedac, Beatriz Araujo, a multiplicidade de espaços oferecida pelo complexo permite que variadas manifestações artísticas, como teatro, dança e circo, sejam contempladas. “Estamos prevendo abordagens inovadoras e atentas a diferentes demandas e necessidades da classe e da sociedade civil, além de práticas que despertem o senso crítico quanto aos aspectos sociais e culturais envolvidos no ofício”, explica.

A proposta vai apostar na educação por meio da formação artística, para consolidar o Laboratório Multipalco como um centro referencial em artes cênicas. “Queremos fortalecer as cadeias produtivas envolvidas e formar um público crítico e entusiasmado com sua cena cultural”, complementa Beatriz.

As iniciativas previstas se somam à parceria recente entre a Sedac e a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (Uergs), impulsionando de forma conjunta oportunidades e desenvolvimento nas áreas da cultura e da educação no Estado. A universidade, que já oferece atividades em espaços da Sedac, poderá também contribuir com as ações do Laboratório.

Os trabalhos de planejamento e estudos já iniciaram e a previsão é de que, ainda no segundo semestre de 2023, sejam lançadas as primeiras formações. As ações terão múltiplos focos, como o aprofundamento do ofício do artista e dos técnicos, o incentivo à cadeia produtiva das artes cênicas, além de enfoque em questões de diversidade.

Outro importante compromisso é a descentralização das políticas culturais, a partir da seleção de espetáculos do interior para apresentações no novo Teatro Oficina, por meio da criação de editais que serão lançados também no mês de julho. “A ideia desses editais é, para além de abrir as portas do Teatro Oficina, gerar possibilidades logísticas para que os grupos possam se apresentar na capital, permitindo que experimentem as múltiplas alternativas que a sala oferece, acessibilizando e democratizando esses espaços”, disse a diretora do Iacen.

O presidente da Fundação Teatro São Pedro, Antônio Hohlfeldt, celebrou o convênio, que permitirá a expansão das atividades da Fundação, para além da intermediação dos espetáculos a serem apresentados ao público e da produção de outras performances. “Vamos abrir uma nova frente, que é a oferta de cursos de formação para o público, em geral, e para artistas, em particular”, destacou Hohlfeldt. “Mais do que isso, o convênio concretiza o projeto de uma Fundação que apresenta espetáculos, atende à formação de mão de obra e de público especializado e, por fim, ainda garante um apoio a políticas de assistência social, na medida em que integra segmentos populacionais a espaços criativos e artísticos”.

Hohlfeldt ressaltou, ainda, a importância da iniciativa, alinhada com o objetivo da criação do espaço Eva Sopher. “Para todos nós, da Fundação Teatro São Pedro, é uma alegria que, depois de criados os espaços físicos do Multipalco, vamos dar-lhes consistência, com a presença de gente que vai se integrar em diferentes projetos”, salientou. “Isso traduz, com perfeição, a utopia de Eva Sopher sobre um multiespaço dedicado à produção e à circulação de atividades artísticas e de expressão de cidadania e de identidade cultural”, concluiu o presidente da FTSP.

Sobre o Multipalco

A primeira entrega do Complexo Multipalco Eva Sopher, no Theatro São Pedro, foi realizada em março deste ano, com a inauguração do Teatro Oficina. O espaço foi pensado para receber espetáculos experimentais e tem capacidade para até 120 espectadores. Sua planta comporta três diferentes tipos de composições das arquibancadas. Dessa forma, a disposição entre atores e plateia pode mudar de acordo com cada produção artística.

A finalização das obras do Teatro Oficina foi possível após a liberação de recursos do Estado, a partir do projeto Avançar na Cultura. Ao todo, o governo investiu R$ 7,5 milhões na obra. Na segunda etapa, que está em execução, o investimento é de R$ 15 milhões, sendo a maior parcela para a finalização do Teatro Italiano.

Na sequência, um terceiro aporte de recursos contemplará equipamentos de som para o Multipalco, que, junto ao prédio histórico, forma um dos maiores complexos culturais da América Latina, ocupando mais de 25 mil metros quadrados.