Na reabertura da Ceitec, Estado destaca alinhamento com a estratégia do programa Semicondutores RS

Representantes dos governos federal e estadual e do município de Porto Alegre celebraram a retomada do Centro Nacional de Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) em evento na manhã desta terça-feira (14/11), na sede da fábrica, na capital gaúcha. O evento contou com a presença da secretária de Inovação, Ciência e Tecnologia, Simone Stülp (que representou o governador Eduardo Leite), e da ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos.

Simone destacou a importância do momento, que vai ao encontro da estratégia traçada por meio do programa Semicondutores RS, lançado em setembro deste ano. “A Ceitec é peça fundamental na construção do programa. Pensamos uma política pública que pudesse estar conjugada com outras – seja da esfera nacional ou mesmo municipal – para que possamos competir globalmente em termos de desenvolvimento tecnológico”, afirmou Simone.

Luciana disse que a decisão do governo federal de reativar a empresa faz parte de uma lógica de fortalecer a indústria brasileira e se posicionar definitivamente em uma tecnologia estratégica, cuja falta afeta o mundo. “Buscamos autonomia do país nas áreas mais sensíveis da cadeia global”, pontuou. A ministra informou, ainda, que a estrutura da fábrica será requalificada e que haverá investimentos em novas máquinas – sendo que, em um primeiro momento, as apostas serão nos setores automotivo e de produção de energia renovável.

O presidente da Ceitec, Augusto Gadelha, comemorou o retorno da produção da fábrica e ressaltou que o posicionamento brasileiro no setor de semicondutores ganhará nova força a partir da iniciativa. “Isso nos permitirá atrair investidores para o Brasil, que agora encontrarão terrenos férteis aqui. Esta fábrica é única no país”, destacou.

Também estiveram presentes no evento empresários, representantes do setor acadêmico e servidores da Ceitec.

Reunião no Palácio Piratini

Após o evento, o governador Eduardo Leite recebeu a ministra Luciana e uma comitiva do governo federal, além de Simone, no Palácio Piratini. Leite e a secretária detalharam o programa Semicondutores RS e ratificaram que a reabertura da Ceitec, unida ao ambiente pujante já consolidado no Estado, será decisiva para o sucesso da estratégia.

“Isso possibilita que grandes empresas possam olhar para a América Latina como uma alternativa. É uma oportunidade única para o Rio Grande do Sul, muito em função da Ceitec e de programas das nossas universidades que existem desde a década de 1980. A retomada da empresa está em sintonia com nosso ecossistema e com nosso programa”, explicou o governador.

Programa Semicondutores RS

O programa Semicondutores RS, lançado oficialmente pelo governo do Estado em setembro deste ano, tem como metas ser referência nacional no setor, consolidando-se também no mercado internacional. Está previsto um investimento estadual de cerca de R$ 70 milhões no setor até 2026.

A estratégia inclui uma série de medidas focadas em inovação e tecnologia para o desenvolvimento da cadeia de semicondutores no Rio Grande do Sul. Em setembro, foi lançado o edital Inova Semicondutores, com aporte de R$ 3 milhões para formação de projetistas de circuitos integrados, mão de obra necessária nesse segmento. Os projetos submetidos estão em fase de avaliação.

Em seguida, foi anunciado o edital Techfuturo Semicondutores, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), vinculada à Sict. Serão disponibilizados R$ 6 milhões para até três projetos para formação de redes de alto nível de competitividade científica e tecnológica, integrando pesquisadores de universidades com empresas estabelecidas e startups. As submissões vão até sexta-feira (17/11).

Os incentivos fiscais oferecidos pelo programa preveem crédito presumido de 100% do ICMS a pagar, ICMS zero para insumos importados e crédito presumido com o objetivo de fomentar as empresas já instaladas e atrair novas. Ainda dentro da estratégia, estão previstas linhas de crédito oficiais por meio de bancos do Estado.