Processo exige que Twitter pague milhões de dólares em bônus a funcionários

Ex-diretor sênior de remuneração da empresa alega que antes e depois de Musk adquirir o Twitter no ano passado, a empresa prometeu aos funcionários que eles receberiam 50% de seus bônus-alvo para 2022

O Twitter enfrenta um processo nos Estados Unidos alegando que a companhia não pagou a seus funcionários milhões de dólares em bônus que teria prometido, somando-se a uma pilha de processos judiciais envolvendo a empresa desde que Elon Musk a adquiriu.

Mark Schobinger, que era diretor sênior de remuneração do Twitter e deixou a empresa no mês passado, entrou com uma proposta de ação coletiva no tribunal federal de San Francisco na terça-feira.

Funcionários processam o Twitter e acusam executivos de não pagarem milhões de dólares em bônus
Meta Verified estreia no Brasil de olho no gigantesco mercado de criadores de conteúdo – e futuramente nas empresas
Schobinger alega que antes e depois de Musk adquirir o Twitter no ano passado, a empresa prometeu aos funcionários que eles receberiam 50% de seus bônus-alvo para 2022. No entanto, esses pagamentos nunca foram efetuados, de acordo com o processo, que acusa o Twitter de quebra de contrato.

O Twitter não possui mais uma assessoria de imprensa. A empresa tem respondido a pedidos de comentário com um e-mail automático de emoji de fezes.

A advogada de Schobinger, Shannon Liss-Riordan, representa ex-funcionários do Twitter em diversos outros processos e cerca de 2 mil casos individuais de arbitragem decorrentes de demissões em massa ordenadas por Musk no ano passado.

Nesses casos, o Twitter é acusado de não pagar indenizações prometidas e de direcionar demissões a funcionárias mulheres e trabalhadores com deficiência, entre outras alegações. A empresa nega qualquer irregularidade.

Vários proprietários, fornecedores e consultores também processaram o Twitter por contas não pagas, algumas das quais herdadas por Musk ao comprar a empresa.